Você já deve ter ouvido falar que o Brasil adota um sistema de bandeiras na conta de luz, mas sabe exatamente o que isso significa? O sistema de bandeira tarifária foi criado em 2015 pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) como uma forma de ajustar o valor da conta de luz dos consumidores às condições de geração de eletricidade.

Isso acontece porque a maior parte da matriz energética brasileira é composta de hidrelétricas, que têm um custo mais baixo de geração. Quando chove pouco e o nível dos reservatórios cai, o governo precisa acionar as termelétricas, cujo custo é mais elevado.

Por esse motivo, a variação na conta de luz decorrente da mudança nas bandeiras não representa um reajuste, mas apenas uma cobrança proporcional ao custo da geração de energia. Portanto, é um sistema que traz mais transparência para o consumidor.

Neste artigo, vamos explicar melhor como funciona esse sistema e como reduzir a conta de energia elétrica. Acompanhe!

Como funciona o sistema de bandeiras na conta de luz?

O sistema criado pela Aneel tem três bandeiras, sendo que a vermelha apresenta dois níveis. Confira abaixo o significado de cada uma delas:

  • bandeira verde: adotada quando as condições de geração de energia estão favoráveis — nesse caso, não há acréscimo na conta de luz;
  • bandeira amarela: as condições já são menos favoráveis e, por isso, existe um acréscimo na tarifa de R$ 1,343 para cada 100 kWh consumidos;
  • bandeira vermelha (patamar 1): aqui, as condições de geração de energia estão mais caras e a tarifa sofre acréscimo de R$ 4,169 para cada 100 kWh consumidos;
  • bandeira vermelha (patamar 2): condições ainda mais custosas de geração de energia, com acréscimo de R$ 6,243 para cada 100 kWh consumidos.

Esses valores são revistos anualmente em abril, quando é o fim do período úmido. Para isso, leva-se em consideração a previsão da variação dos custos de energia relativos ao risco hidrológico das usinas elétricas e à geração por fonte termelétrica, entre outros fatores.

O sistema de bandeiras só não é usado no estado de Roraima, que não faz parte do Sistema Interligado Nacional (SIN). Além disso, é aplicado para todos os consumidores cativos das distribuidoras, inclusive para aqueles que pagam apenas o consumo mínimo de energia, de forma que todos contribuam para manter a disponibilidade do sistema elétrico. Os tributos também incidem normalmente sobre esse valor.

A Aneel divulga no fim de cada mês qual será a bandeira do mês seguinte, e essa informação pode ser conferida no próprio site da agência. Assim, quando a bandeira for amarela, por exemplo, uma família que consome 500 kWh em um mês pagará R$ 6,71 a mais na conta de luz. Se for vermelha (patamar 2), esse acréscimo sobe para R$ 31,21.

A bandeira vermelha é mais frequente em anos em que chove pouco. Em 2015, por exemplo, ela foi adotada durante todo o ano. Já em 2019, a bandeira vermelha foi acionada apenas em agosto, setembro e novembro.

Como economizar energia para reduzir a conta de luz?

Quando a bandeira vermelha é acionada, os consumidores costumam se assustar porque a conta de luz vem mais alta. No entanto, saiba que existem formas de economizar e reduzir um pouco esse valor. Veja, a seguir, algumas sugestões bem práticas para gastar menos energia.

e-book gratuitoPowered by Rock Convert

Geladeira e freezer

Quanto mais os motores da geladeira e do freezer são forçados a trabalhar para manterem a temperatura, mais energia eles gastam. Assim, para economizar, veja o que você pode fazer:

  • colocá-los longe do fogão, de estufas e de áreas expostas ao sol — em relação aos aparelhos citados, a recomendação é deixar uma distância de, pelo menos, 15 cm dos lados, acima e atrás;
  • evitar passar muito tempo com a geladeira aberta ou abrir e fechar a porta com muita frequência;
  • não usar as serpentinas (aquelas grades que ficam atrás do aparelho) para secar roupas, panos etc. — essa prática tanto gasta mais energia como pode sobrecarregar e danificar a geladeira.

Televisão, videogame e home theater

O mais indicado é que esses aparelhos fiquem ligados somente enquanto alguém precisa utilizá-los. Muita gente acaba pegando no sono com a televisão ligada, por exemplo. Se você costuma cometer esse deslize, a dica é usar o timer para programá-la para desligar depois de certo tempo.

Ar-condicionado e aquecedor

Esses dois aparelhos são grandes consumidores de energia. Por isso, os cuidados devem começar já na hora da compra, com a escolha de modelos adequados ao tamanho do ambiente onde serão usados. Além disso, ao instalá-los, é importante que a parte externa fique protegida do sol.

Outros cuidados que ajudam a reduzir o consumo são:

  • manter portas e janelas fechadas enquanto o ar-condicionado estiver em uso;
  • desligar os aparelhos quando o local estiver desocupado;
  • limpar os filtros periodicamente, conforme recomendação do fabricante, uma vez que a sujeira impede a livre circulação do ar e, assim, o aparelho tem que trabalhar mais para obter o mesmo resultado.

Chuveiro elétrico

Todos os aparelhos que trabalham com resistência consomem bastante energia, como é o caso do chuveiro elétrico. Então, é bom que ele fique ligado pelo menor tempo possível. Algumas pessoas têm o hábito de ligar o chuveiro enquanto se preparam para o banho, o que causa um duplo desperdício: de energia e de água.

Além disso, use a menor potência possível, considerando a temperatura ambiente. Quanto mais quente a temperatura da água, mais o chuveiro tem que trabalhar e mais energia ele gasta para isso.

Iluminação

Aqui, a primeira regra é aquela que nossos pais nos ensinam quando somos crianças: apague a luz ao sair do cômodo. Além disso, aproveite ao máximo a luz natural para realizar tarefas domésticas.

Usar cores claras nas paredes e nos tetos também ajuda a aproveitar melhor a iluminação. Por fim, use lâmpadas tipo LED, que são as mais econômicas, e certifique-se de que a potência é adequada para o ambiente.

Agora você já sabe como funcionam as bandeiras na conta de luz. Esse sistema garante transparência em relação aos custos de geração de energia no país e serve também para que as pessoas fiquem alertas às práticas do dia a dia.

Quer saber mais sobre o assunto? Não perca o nosso post que explica o que é a tarifa branca e como aderir a ela.

Comments

comments