A Alemanha inaugurou neste mês sua primeira ciclovia pavimentada com painéis fotovoltaicos, localizada em uma cidade próxima a Colônia. O projeto transforma a antiga pista de ciclismo em uma usina de energia solar que absorve ruídos e ainda ajuda a derreter a neve acumulada na via durante o inverno.

Segundo o engenheiro criador do tapete solar, Donald Müller-Judex, a infraestrutura original da ciclovia foi adaptada com a instalação de pequenas pastilhas de 10cm² compostas por células fotovoltaicas individuais. As pastilhas são interligadas de forma a compor uma estrutura flexível e emborrachada.

Müller-Judex explica que a ideia de instalar as pastilhas na ciclovia surgiu há alguns anos, quando ele procurava telhados com potencial para colocar painéis fotovoltaicos, mas todos os locais adequados já estavam ocupados. No entanto, o engenheiro observou que muitas ruas pouco movimentadas tinham alta incidência solar. Só de ciclovias, a Alemanha tem 1,4 bilhão de metros quadrados disponíveis.

Eficiência

Apesar de a posição horizontal das ciclovias diminuir a eficiência da produção em relação aos painéis fotovoltaicos instalados em telhados inclinados, o projeto traz ainda outros benefícios, já que as pastilhas são multifuncionais e podem gerar iluminação LED ou recarregar veículos elétricos.

e-book gratuitoPowered by Rock Convert

De acordo com Müller-Judex, o excedente de energia produzido pela ciclovia será encaminhado para uso da comunidade. Ele acredita que cerca de 15 mil quilowatt-hora (kWh) poderão ser gerados por ano, o equivalente ao consumo de uma família alemã.

A expectativa é que mais ciclovias sejam adaptadas nesse formato futuramente. O custo de instalação será de aproximadamente 250 euros por metro quadrado, investimento com retorno previsto para entre 12 e 14 anos em média. Após esse período, o pavimento deve gerar eletricidade por mais uma década. A longo prazo, é previsto que a ciclovia solar seja mais barata que a convencional, que só tem custos.

 

Fonte: Climatempo

Comments

comments