Nosso planeta está passando por alterações climáticas muito sérias. Recursos naturais importantes estão se esgotando e desastres ecológicos, como o derramamento de óleo na costa brasileira, têm sido cada vez mais frequentes. Tudo isso devido à ação do ser humano. Por isso, hoje em dia, ter consciência ambiental é uma obrigatoriedade.

Afinal de contas, precisamos entender por que esses fenômenos acontecem e de que forma podemos ajudar a resolver o problema. A questão é: qual mundo queremos deixar para as nossas crianças?

Neste texto, explicaremos o que é a consciência ambiental e como ela é importante para o mundo. Traremos também algumas formas de despertar esse conhecimento nas pessoas, além de ações para levar a mudanças concretas. Boa leitura!

Afinal, do que se trata a consciência ambiental?

O homem influencia a natureza desde o estabelecimento da humanidade em sociedades. Os processos mais ambientalmente impactantes surgiram com a Revolução Industrial, na Europa, a partir dos séculos XVIII e XIX. Isso porque as indústrias começaram a explorar muita matéria-prima e a poluir a atmosfera. Além disso, incentivou a urbanização e a intensificação da produção de lixo.

Assim, da relação do homem com a natureza surge a consciência ambiental, que consiste em entender o meio onde está inserido. De modo geral, ter esse entendimento é saber o funcionamento do meio ambiente e como nossas ações causam impactos a curto, médio e longo prazo. Isso engloba o tipo de poluição gerada por diferentes atividades e os recursos demandados. 

A consciência completa não separa o ser do ambiente, mas desperta na pessoa a percepção de que as agressões à natureza serão um reflexo dela própria. Por fim, esse conhecimento precisa ser colocado em prática de forma a mitigar os efeitos negativos com ações conscientes de preservação. 

Desenvolvimento sustentável

A consciência ambiental está diretamente relacionada à sustentabilidade porque ser sustentável significa colocar em prática as ações para preservar os recursos. O desenvolvimento do mundo depende sim da exploração do capital natural, mas ele é finito e o mundo já vislumbra um esgotamento.

Assim, um desenvolvimento apenas para a lucratividade, sem se preocupar com os impactos, é egoísta e autodestrutivo. Já o sustentável se apoia em três pilares: social, ambiental e econômico. O objetivo é utilizar processos para garantir o bem-estar social e a manutenção dos recursos naturais para as gerações futuras, sem deixar de lado os ganhos econômicos.

Como despertar essa preocupação nas pessoas?

Mesmo com muito espaço para a mudança, o brasileiro tem, aos poucos, melhorando a consciência ambiental. Ele tem percebido os problemas ao redor, como a fumaça gerada por carros, os rios extremamente poluídos e os lixos nas ruas. O cenário tem se tornado otimista.

Incomodar-se com esse tipo de situação é o primeiro passo na direção certa. Mas é preciso muito mais. A geração atual de crianças vai conviver diretamente com os problemas ambientais no futuro. Por isso, ensiná-las desde cedo as boas práticas em relação à natureza é essencial. Muito já é ensinado na escola, mas também cabe aos pais fornecer uma educação ambiental aos filhos.

Uma criança é o reflexo da criação dela e dos adultos próximos. Assim, vale a pena investir em pequenas ações diárias para mostrar aos pequenos a importância de ser consciente. Uma das questões mais importantes é evitar o desperdício para não gerar mais lixo.

Além disso, é preciso mostrar como o plástico pode ser bastante prejudicial. Leve para o mercado bolsas ecológicas e use sacolas biodegradáveis para o recolhimento dos resíduos de casa. Água e energia devem ser poupadas por meio de formas de consumo que fujam do habitual.

Isso é importante esses jovens se tornarem adultos conscientes e cidadãos éticos. Preocupar-se com questões ambientais é ter consideração por todo mundo e por todas as pessoas.

Ter noção do próprio consumo e buscar aperfeiçoar esse processo provoca, pouco a pouco, uma mudança nas relações comerciais. Isso porque a resposta do mercado e das empresas será transformar produtos e serviços de forma a diminuir a pegada ecológica.

Quais medidas tomar para mudar o cenário atual?

Buscar informações sobre os impactos ambientais e transmiti-las para os seus filhos é muito importante. Bem como relacionar esses impactos com processos diários e investir em ações mitigadoras. No dia a dia, os consumos mais desafiadores de serem mudados são os de água e de eletricidade.

Água

Pequenas mudanças podem gerar uma grande economia de água, o que favorece também o orçamento familiar. No caso dos banhos, por exemplo, a vazão dos chuveiros varia entre 6 e 25 litros de água por minuto, de acordo com o tamanho do aparelho e a pressão. Dessa forma, o banho de 15 minutos em um chuveiro simples pode gastar entre 90 e 375 litros.

Uma boa ideia é desligar o equipamento para se ensaboar e reduzir para cerca de cinco minutos o chuveiro ligado. Assim, o gasto cai para um valor entre 30 e 125 litros. Escovar os dentes e fazer a barba com a torneira fechada também tem um impacto positivo, deixe para a abrir o registro no momento do enxágue.

Para quem tem o hábito de lavar o quintal ou o carro, faça isso com baldes porque as mangueiras têm uma vazão de água muito maior. Isso também se aplicar para molhar plantas e gramados. É também importante fazer essas tarefas em horários mais frescos como à noite ou no início da manhã para evitar a evaporação rápida.

O reaproveitamento da água é também muito interessante. Com a captação da água da chuva, é possível substituir a encanada em várias atividades citadas, como para regar plantas e lavar o carro.

Eletricidade

A produção de energia elétrica é a grande vilã dos impactos ambientais. Isso porque o mundo cada vez mais depende de funcionalidades elétricas. No Brasil, boa parte da matriz energética depende da produção das usinas hidrelétricas, que têm um grande impacto negativo durante a instalação, devido à inundação de áreas quilométricas.

Dessa forma, a economia de luz no dia a dia é necessária e pode ser feita por meio de sensores de presença em locais como corredores e saguões, troca de eletrodomésticos sem certificação e a instalação de tomadas que desligam sozinhas após um tempo de ociosidade do equipamento conectado.

Além disso, a produção própria de energia pode ser muito benéfica. Esse é o caso da energia solar fotovoltaica que pode ser instalada em diferentes telhados e coberturas e em áreas planas como estacionamentos. Essa é uma fonte limpa e renovável para gerar economia para o consumidor.

e-book gratuitoPowered by Rock Convert

Quais as vantagens de adotar um estilo de vida pautado na preservação ambiental?

O seu estilo de vida nada mais é do que a soma das suas atitudes que o diferenciam socialmente, definindo a sua rotina. O jeito como você vive seu dia a dia diz muito sobre quem você é. Cada comportamento pode ter afinidade com determinadas culturas, como o vegetarianismo, a medicina alternativa, práticas espirituais e hábitos sustentáveis, entre outras.

Um estilo de vida focado na sustentabilidade, por exemplo, é aquele que provoca uma reflexão a respeito do impacto que causamos em nosso ecossistema. Com isso, a rotina é repensada para que os danos sejam amenizados. Cada uma das nossas atitudes diárias faz diferença, pode acreditar. Para você ter uma ideia 70% dos problemas ambientais do mundo são decorrentes de hábitos ruins dos cidadãos americanos.

O consumo em si não é o que deixa a Terra em uma situação ambiental difícil. Na realidade, consumir é uma ação necessária para que nossa espécie sobreviva. Porém, você já parou para pensar se tudo o que adquiriu nos últimos anos realmente foram itens indispensáveis na sua vida?

O consumo consciente impacta diretamente a preservação ambiental. Isso porque consumir exageradamente causa uma superexploração dos recursos naturais, interferindo no equilíbrio do meio ambiente.

Segundo o relatório Planeta Vivo, somando o consumo de toda a população mundial, esse índice fica 30% além do que nosso planeta consegue repor. Outra informação, divulgada pelo World Watch Institute (WWI), aponta que são extraídos 50% a mais de recursos naturais hoje do que há 30 anos.

Sabemos que o número de habitantes global apresentou crescimento nos últimos anos, e isso, naturalmente, acarreta um consumo maior. Todavia, existem uma desigualdade gritante, já que os grupos privilegiados economicamente consomem mais do que precisam, enquanto grande parte da população mundial sofre com a falta de recursos básicos.

A partir do momento que compreendemos a sociedade desigual na qual estamos inseridos, passamos a ficar mais atentos à importância de diminuir o que é supérfluo, consumindo de maneira mais consciente.

Repense seus hábitos de consumo

Nossa dica é que você vá além da redução do consumo, repensando seus hábitos para contribuir com a amenização dos impactos ao meio ambiente que a produção de alguns materiais causam.

Afinal de contas, uma das maiores consequências de consumir desenfreadamente é o lixo produzido. O Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2017 informa que, todos os anos, são geradas 71,6 milhões de toneladas de resíduos sólidos nos grandes centros urbanos.

Uma ação significativa para atenuar esses impactos é escolher comprar de marcas e empresas que sigam boas práticas no quesito sustentabilidade. Lembre-se que o setor industrial é o segundo maior poluidor do planeta. Portanto, é imperativo que essa postura seja mudada. Quando o consumidor cobra a mudança e pauta suas decisões de compra em cima disso, consegue fazer a sua parte para atenuar os impactos ambientais.

Quais os desafios da consciência ambiental?

Vejamos quais são os principais desafios para a mudança de atitude, a fim de adotar a consciência ambiental como um estilo de vida.

Reduzir o consumo de energia

São tantos aparelhos eletrônicos, automação em residências e empresas, que o gasto de energia é cada vez maior. Só que é preciso prestar atenção e ter conhecimento de qual a fonte energética que produz a eletricidade que chega até seu imóvel comercial ou residencial.

Infelizmente, como explicamos acima, a maior parte é proveniente de fontes poluentes, como o carvão e o petróleo. No entanto, a boa notícia é que energias limpas e renováveis estão cada vez mais acessíveis à população.

Então, além de reduzir o consumo de energia, procure optar pela geração elétrica por meio da irradiação do sol (energia solar) ou da força dos ventos (energia eólica).

Reciclar

A Associação Empresarial para Reciclagem (CEMPRE) realizou um estudo que aponta o Brasil como produtor de mais de 240 mil toneladas de lixo diariamente. Esse é o principal agente causador da degradação ambiental por aqui, tornando a reciclagem um hábito fundamental para manter a saúde do planeta e das pessoas.

Só que a realidade nos mostra que reciclar ainda é uma atitude pouco aplicada no dia a dia do brasileiro. Isso porque das 240 mil toneladas de lixo gerada todos os dias, somente 2% é encaminhado para a reciclagem, enquanto 45% poderia ser reciclado.

Quanto mais reciclarmos, mais reduziremos o lixo dos aterros sanitários. Também evitaremos a poluição do ar e a ocorrência de desastres naturais, como enchentes, deslizamentos e contaminações do solo e da água utilizada no cultivo. Sem falar nos postos de trabalho que são abertos para que desempregados tenham uma chance de sustentar suas famílias.

Preservar recursos naturais

Cerca de 70% da Terra é composta por água. Daí vem o nome Planeta Azul. Então, por que será que ambientalistas do mundo todo afirmam que a água é um recurso natural escasso hoje em dia? Porque somente 2,5% desse total é doce, sendo que a maior parte está nas geleiras. Por isso, a crise mundial de falta de água é uma realidade e um grande perigo para a humanidade.

As atitudes simples no nosso dia a dia que já abordamos aqui ajudam muito na preservação desse recurso natural indispensável para a vida de todos os seres terrenos. No entanto, o principal, é evitar o desperdício de alimentos, pois mais da metade da água dos nossos reservatórios é direcionada à irrigação do setor Agropecuário. Isto é, quem estraga alimentos, está jogando fora água que foi usada no processo produtivo.

Pronto! Agora você já sabe como a consciência ambiental é importante para a preservação dos recursos e a necessidade de ser transmitida para as novas gerações. Procure, dentro da sua realidade, colocar em prática algumas das ações citadas. Temos certeza que boa parte dessas medidas pode ser incorporada na sua rotina.

Por mais que pareça um futuro distante a escassez de recursos naturais importantes, como a água, a realidade já está batendo em nossas portas. Inclusive, o Brasil criou o sistema de bandeiras tarifárias, justamente por causa da falta de água nas hidrelétricas. Ou seja, somos nós que estamos pagando, literalmente, o preço da falta de consciência ambiental.

Gostou deste conteúdo? Então, nos acompanhe no Facebook e no Instagram para ver as nossas postagens em primeira mão!

Comments

comments