Nos últimos tempos, o termo “eficiência energética” tem ganhado bastante notoriedade entre os brasileiros. Em uma época de grande preocupação com a escassez dos recursos naturais, os líderes governamentais e empresários estão buscando soluções de sustentabilidade para produzir energia, reduzir os seus custos e oferecer um serviço de qualidade para a população.

A parte mais interessante é que essas atitudes podem ser adotadas tanto nas residências quanto nas empresas ou indústrias, principalmente, entre os gestores que desejam conquistar um diferencial competitivo no mercado e, de quebra, colaborar para a diminuição do impacto ambiental no planeta.

Sendo assim, que tal seguir a tendência e aproveitar todas essas vantagens? Para ajudá-lo nessa empreitada, criamos um post completo, com tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Ao longo da leitura, explicaremos mais sobre a eficiência energética, a sua influência no meio ambiente e como levar essa ideia para o seu negócio.

O que é eficiência energética e qual sua relação com a sustentabilidade?

Boa parte da população já se deparou com a conta de luz e achou o valor cobrado extremamente caro. Você, com certeza, não está de fora dessa parcela, correto? Por essa razão, nos últimos anos, o conceito de eficiência energética está cada vez mais em pauta.

Na sociedade em que vivemos, qualquer simples atividade já é capaz de consumir uma ou mais opções de energia. Esse é o caso da gasolina, do gás natural, do óleo diesel e, principalmente, da eletricidade — que é usada em equipamentos simples, como lâmpadas, e mais complexos, como os automóveis, eletrodomésticos ou máquinas industriais.

Ao serem utilizados, esses aparelhos se tornam grandes consumidores e dissipadores de energia. Funciona assim: quando usamos uma lâmpada, o objeto transforma a eletricidade em calor e luz. Enquanto uma parte da energia elétrica é aproveitada para produzir a iluminação, outra é desperdiçada no meio ambiente.

Assim como acontece com a lâmpada, esse efeito atinge os outros equipamentos responsáveis por transformar energia, até atingir todos os segmentos da nossa economia. É justamente aí que entra a famosa eficiência energética, um conceito que tem o objetivo de levar a população a ter mais consciência ambiental e utilizar as fontes de energia de um modo racional, sempre procurando diminuir a sua quantidade.

Exemplos de eficiência energética

Um dos principais exemplos de eficiência energética é a lâmpada do tipo LED — que apresenta o mesmo índice de iluminamento dos modelos incandescentes de 60W. Com essa opção, é possível economizar até 53 Watts por hora, resultando em, aproximadamente, 90% de economia para o seu bolso.

Outro diferencial está na vida útil do produto. As lâmpadas de LED apresentam 50 vezes mais durabilidade e o calor emitido para o ambiente é bem menor, em comparação aos modelos tradicionais.

Mas não é só isso. Existem também, outros exemplos incríveis da eficiência energética. A seguir, selecionamos os principais:

  • climatização: o mercado da climatização é um dos que mais crescem no mundo e, por isso, podemos contar com inúmeras soluções capazes de resfriar ou aquecer um ambiente de forma eficiente. O retrofit é uma delas. Famoso na arquitetura e na engenharia, esse método é utilizado para revitalizar construções antigas, instalando novos equipamentos tecnológicos, capazes de oferecer conforto térmico, economia elétrica e redução nos custos de manutenção do espaço;
  • motores: muitas pessoas estão investindo nos motores de alto rendimento, que conseguem economizar cerca de 30% de energia, em comparação aos tradicionais;
  • produção de vapor: hotéis, hospitais e indústrias, normalmente, utilizam caldeiras elétricas ou a gás para produzir vapor. Para reduzir o consumo de energia, algumas empresas estão apostando no reuso dos gases de escape e na instalação de placas solares para essa finalidade.

Após os nossos exemplos, é possível notar que a eficiência energética é, basicamente, a arte de conseguir muita energia com poucos recursos. Atualmente, esse é um dos métodos fundamentais para fazer com que o mundo seja um lugar sustentável.

Lembre-se: produzir e distribuir energia, em forma de gás, calor ou eletricidade, é um processo muito caro e que promove um grande impacto no meio ambiente.

Em resumo, a eficiência energética é o melhor caminho para evitar o esgotamento dos nossos recursos naturais e garantir que a humanidade tenha uma existência digna, saudável e de qualidade em um futuro não muito distante.

Quais os impactos para os negócios de uma organização sustentável?

Ser sustentável deixou de ser um mero diferencial e tornou-se uma característica obrigatória para toda e qualquer empresa que deseje crescer no mercado. Hoje, um empreendedor de sucesso deve estar por dentro das tendências e não medir esforços para implementar ações ecológicas em sua organização.

Diferentemente das décadas passadas, o período em que vivemos tem se mostrado mais promissor para as instituições que desejam se conscientizar e adotar “estratégias verdes” e eficientes em suas rotinas — independentemente do seu porte ou setor de atuação.

O melhor de tudo? A sustentabilidade é uma via de mão dupla. Ao mesmo tempo em que uma marca contribui ecologicamente para o planeta, ela também pode usufruir de inúmeros benefícios. Abaixo, contaremos mais sobre eles:

Preservação dos recursos naturais

Não tem jeito — toda empresa, de alguma forma, utiliza os recursos naturais, seja de maneira direta ou indireta. Mas a boa notícia é que, assim que uma instituição adota práticas sustentáveis, ela passa a utilizar esses insumos de um modo mais racional, evitando o desperdício.

Por mais que as atitudes inicialmente pareçam pequenas e irrelevantes, em longo prazo, ajudam a diminuir consideravelmente os impactos ambientais e a colaborar para a preservação da natureza e das fontes de energia.

Influência na comunidade

A partir do momento em que uma marca oferece produtos ou serviços para a população, ela começa a exercer uma forte influência social. Ou seja, muitos consumidores serão influenciados pelas suas atitudes e passarão a aplicar as mesmas práticas em suas rotinas.

Seguindo esse raciocínio, nada mais justo do que investir em medidas ecológicas para educar o público, de forma indireta, sobre a importância da sustentabilidade.

E não são apenas os consumidores que vivem essa transformação, viu? Nesse processo, os seus funcionários também podem ser estimulados a adotar um estilo de vida mais consciente.

Excelentes lucros e fortalecimento da marca

Temos aqui, mais um benefício para as empresas sustentáveis: a economia. Podemos dizer que ser uma organização eco-friendly é extremamente lucrativo para o seu negócio.

Vamos começar pelo uso dos recursos naturais — caso você utilize as suas matérias-primas de modo racional, é possível ter menos gastos, reaproveitar os materiais e, inclusive, evitar o desperdício.

Tudo isso sem contar o fortalecimento da marca no seu setor de atuação. Ao oferecer produtos, serviços ou adotar práticas sustentáveis, o seu negócio será visto com bons olhos pela comunidade — e isso pode se tornar uma valiosa ferramenta de marketing para alavancar as vendas.

Quais os pilares da sustentabilidade?

Basta realizar uma pesquisa básica na internet que você perceberá: a maioria das empresas renomadas no mercado investe em práticas sustentáveis. De uns tempos para cá, ficou mais fácil encontrar anúncios, publicidades, logomarcas e demais embalagens que carreguem esse conceito.

Mas será que você realmente conhece bem esse assunto? Recentemente, para que a população tenha mais acesso ao tema, os especialistas da área definiram os três pilares da sustentabilidade, que são: social, ambiental e econômico.

Para que uma empresa seja, de fato, considerada sustentável, ela precisa atuar nesse tripé, fazendo com que esses fatores funcionem simultaneamente, com harmonia e eficiência. Veja mais abaixo:

Social

O pilar social da sustentabilidade diz respeito ao capital que está, de forma direta ou indireta, relacionado às práticas verdes realizadas por uma organização. Em resumo, isso abrange os gastos com o seu time de funcionários, bem como as despesas com os seus consumidores, fornecedores e com a comunidade local.

Para atuar nessa área, é preciso que uma empresa ofereça salários justos, esteja alinhada à legislação trabalhista e desenvolva ações que sejam capazes de estimular boas relações de trabalho e motivar o crescimento pessoal de cada colaborador.

Nesse tópico, também podemos incluir as estratégias e ações exclusivas para melhorar a qualidade de vida da população, como a criação de políticas de melhorias e leis de amparo. 

Ambiental

Outro pilar da sustentabilidade é o ambiental. Esse está relacionado aos diferentes caminhos para preservar o meio ambiente, os recursos naturais e a diminuição do desperdício.

O principal objetivo do desenvolvimento sustentável é reduzir, ao máximo, os impactos ambientais — e não somente compensar as suas atividades nocivas. Caso contrário, as práticas adotadas pela organização serão meras estratégias de marketing.

Um bom exemplo de organizações que atuam nesse pilar são as marcas que utilizam matéria-prima específica e encontram alternativas para diminuir o uso desse material. Todo esse processo deve ser desenvolvido dentro da legislação ambiental e adequado às necessidades de cada região.

Econômico

Por último, está o pilar econômico. Para que uma organização seja considerada economicamente sustentável, ela deve ter a capacidade de fabricar, distribuir e divulgar os seus serviços ou produtos por meio de uma estratégia de competitividade ética e igualitária, em relação aos seus concorrentes no mercado. E principalmente: o seu crescimento não deve acontecer baseado no desequilíbrio do ecossistema da região.

Vamos aos exemplos? Se uma indústria alcança bons lucros explorando os seus funcionários e deteriorando o meio ambiente, ela, de fato, não pode ser vista como sustentável.

e-book gratuitoPowered by Rock Convert

Em linhas gerais, é terminantemente proibido que uma empresa seja sustentável e, ao mesmo tempo, lucre com o desmatamento ou qualquer outra prática nociva ao planeta.

Quais as atitudes sustentáveis que sua empresa precisa adotar?

Poucos são os gestores que compreendem que o seu negócio é importante para toda a sociedade, uma vez que as organizações pagam impostos, abrem vagas de emprego e utilizam os recursos naturais. E para que uma empresa seja sustentável, é fundamental equilibrar o retorno financeiro obtido com o cumprimento de suas obrigações ambientais e sociais.

Nos tempos atuais, uma empresa só conseguirá ter bons lucros, em longo prazo, se conseguir conquistar a famosa vantagem competitiva — um fator essencial para garantir o seu crescimento e a sua sobrevivência no mercado.

Caso não saiba, a vantagem competitiva é tudo aquilo capaz de diferenciar uma marca dos seus concorrentes, podendo ser uma especialidade, a qualidade dos produtos e serviços oferecidos ou, até mesmo, a sua preocupação com o meio ambiente.

Dito isso, existem diversas práticas sustentáveis que podem fazer com que uma organização seja mais valorizada, conquiste o público e cresça de maneira positiva. Conheça as principais:

Elimine o uso de copos descartáveis

A primeira e mais simples atitude que uma empresa pode ter é banir o uso de descartáveis. A razão disso? Simples: assim que esses produtos são utilizados, eles se tornam indispensáveis e são descartados, gerando mais lixo.

Para se tornar um grande empreendedor, caberá a você parar de comprá-los e lançar campanhas especiais para incentivar os funcionários a substituírem os descartáveis por copos, canecas ou squeezes laváveis.

Aposte na reciclagem

Toda empresa tem aqueles objetos que já não oferecem tanta utilidade assim — e, com certeza, com a sua, isso não é diferente. Quando isso acontecer, a recomendação é encontrar mecanismos para reciclar esses materiais antes mesmo de serem mandados para a lixeira.

Sabe os papéis que foram impressos e não servem mais? Eles podem ser reaproveitados como folhas de rascunho ou bloquinhos de anotação.

Para intensificar ainda mais essa ideia, você também pode distribuir lixeiras para os seus funcionários, com a intenção de otimizar a separação do lixo reciclável do orgânico.

Economize energia elétrica

Como falamos, parte da energia que é gerada não consegue ser aproveitada, resultando em uma perda financeira considerável, inclusive para quem possui uma empresa.

Esse fato é ainda mais alarmante nos períodos em que o valor da energia está mais alto, como acontece nas épocas em que há pouca chuva. De acordo com um levantamento realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco), até 2020, a conta de luz deve aumentar, no mínimo, 9% ao ano. Preocupante, não é?

Para evitar tal prejuízo, nada melhor do que adotar algumas práticas eficazes para economizar energia na empresa. Siga as nossas sugestões especiais:

  • prefira o uso de lâmpadas de LED;
  • sempre que possível, desligue as lâmpadas dos ambientes que não estão sendo usados;
  • opte pela luz natural. Nesse caso, vale a pena instalar janelas grandes, de vidro, e derrubar as paredes ou outras divisórias nos espaços;
  • modernize os seus equipamentos, uma vez que os aparelhos antigos tendem a consumir mais energia;
  • conscientize os seus funcionários para que todos sigam essas práticas;
  • faça a manutenção preventiva em todas as máquinas e equipamentos da sua empresa.

Além das recomendações anteriores, você pode investir todas as suas fichas no uso dos painéis solares. Já ouviu falar sobre eles? Muitas pessoas não imaginam, mas o sol é uma das fontes mais ricas e renováveis de energia. Ao captar a sua luz e calor, por meio dos painéis fotovoltaicos, é possível transformar essa carga em energia, substituindo perfeitamente qualquer demanda elétrica do dia a dia.

Embora essa alternativa seja pouco utilizada no Brasil, já é uma forte tendência em países da Europa e nos Estados Unidos, prometendo ser uma das grandes opções de negócios do futuro. A parte boa é que, em longo prazo, você conseguirá ter uma economia incrível, além de fazer uma excelente contribuição ao meio ambiente.

Durante o verão

Assim que a temperatura sobe, passamos a consumir mais os equipamentos eletrônicos. A geladeira, o ar-condicionado e o ventilador são alguns deles. Quer saber como economizar energia no verão e reduzir os gastos da sua empresa? É fácil:

  • pinte as paredes e os móveis de cores claras, para que a luz se espalhe melhor pelo ambiente;
  • com frequência, limpe os lustres para aproveitar ao máximo a potência das lâmpadas;
  • ligou o ar-condicionado? Então, mantenha as portas e janelas sempre fechadas;
  • caso prefira utilizar ventilador, instale os modelos de parede ou de mesa, já que os de teto são capazes de consumir mais energia.

Desenvolva projetos de preservação e conscientização

Dentro da sua própria empresa, é possível criar projetos exclusivos para a preservação do meio ambiente. Nessa etapa, considere pedir a ajuda dos seus funcionários sobre o que pode ser feito e melhorado dentro do ambiente de trabalho, ou ao longo dos processos de produção, para reduzir o uso dos recursos naturais.

Também é importante criar uma política ecológica dentro da organização. Isso fará com que todos os colaboradores sigam esse estilo de vida e adotem práticas verdes em suas casas ou nos bairros onde moram.

Promova o dia do home office

Já imaginou como pode ser proveitoso estabelecer um dia para que os seus colaboradores trabalhem de casa? Isso, é claro, se todos tiverem a estrutura necessária, como um computador, internet ou acesso aos meios de comunicação da empresa.

Essa é uma solução simples, mas bastante construtiva para os gestores que desejam economizar com o transporte dos funcionários e com a conta de luz e oferecer mais qualidade de vida para toda a equipe.

Estimule o uso de transportes alternativos

Você sabia que nem sempre é tão interessante assim ir trabalhar usando o carro como meio de locomoção? Nas grandes metrópoles, como São Paulo e Rio de Janeiro, o trânsito é o grande vilão daqueles que desejam ter um dia tranquilo e não poluir a cidade.

Por essa razão, uma alternativa diferenciada, mas bastante atrativa, é incentivar os seus funcionários a utilizar outros meios de transporte, como a bicicleta.

Outra sugestão bacana é estimular a prática das chamadas caronas solidárias, em que um funcionário oferece a carona a outros indivíduos que moram perto dele. Essa atitude faz com que menos pessoas se desloquem com o automóvel e, consequentemente, poluam menos o meio ambiente.

Qual o cenário da sustentabilidade no mundo?

A preocupação com o meio ambiente não deve se restringir às empresas. Muitos líderes mundiais e governantes estão se comprometendo mais em conservar e usufruir dos nossos recursos naturais de uma maneira consciente.

Tal preocupação começou a ganhar notoriedade na década de 1970, com a criação do Dia Mundial do Meio Ambiente, estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Inicialmente, o foco era promover a discussão sobre a preservação do meio ambiente, mas, felizmente, com o tempo, essa conscientização evoluiu e a pauta deixou de ser restrita ao segmento dos movimentos ambientalistas.

Nos dias atuais, o universo dos negócios e dos governos também tomou conhecimento sobre a importância da eficiência energética, e essas práticas já estão presentes em vários setores da nossa sociedade.

Em 2016, um time de especialistas de duas grandes universidades americanas, a Columbia e a Yale, elaboraram um ranking dos países mais sustentáveis do mundo. Ao todo, foram 180 nações classificadas e, dessas, a Finlândia alcançou o primeiro lugar. O Brasil, por sua vez, ocupou a 46ª posição no ranking, mostrando que ainda tem muito trabalho pela frente.

Para ganhar o reconhecimento internacional, o país precisa retomar as suas ações sustentáveis e cuidar do seu ecossistema, da diversidade biológica e da produção florestal. Isso sem se esquecer da conscientização e da educação das comunidades, que devem compreender a necessidade de praticar atividades ecológicas diariamente.

Em contrapartida, existem diversos países que são verdadeiros exemplos para o restante do globo. Esse é o caso de Mônaco, que, nos últimos anos, vem realizando diferentes iniciativas sustentáveis incríveis.

Uma delas é a Monaco Ocean Week, um evento que acontece desde 2017 e tem como foco reunir stakeholders nacionais e internacionais para encontrarem alternativas de preservação dos oceanos e de regiões marinhas protegidas.

Tecnologias sustentáveis

Além da conscientização mundial, muitas empresas estão desenvolvendo serviços e produtos exclusivos e capazes de colaborar para a sustentabilidade do planeta. São ferramentas excelentes para combater o desperdício, promover a reciclagem e, ao mesmo tempo, proporcionar uma melhora de vida aos cidadãos.

Dentre eles, podemos citar os eletrodomésticos movidos a raios de sol; as impressoras 3D construídas a partir de lixo eletrônico; e os painéis solares, que convertem a radiação solar em eletricidade limpa. Um verdadeiro investimento em longo prazo!

E então, após a leitura, você conseguiu entender melhor sobre as vantagens de unir a eficiência energética com a sustentabilidade? Sem dúvida, essa combinação pode ser extremamente benéfica — não somente para o meio ambiente, mas também para o seu bolso e para o sucesso dos negócios. Considere essa ideia!

Para continuar recebendo outros conteúdos valiosos como este, não perca tempo e assine já a nossa newsletter!

Comments

comments