O modelo de negócio é uma estratégia voltada para a criação e gerenciamento das percepções de valores de uma organização e está diretamente relacionado ao “jeito de agir da corporação”. De forma resumida e mais ampla, podemos dizer que é maneira que as instituições encontram para entregar valor ao cliente.

Muitos tem o costume de associar o modelo de negócio ao plano de negócios, mas temos que entender que são diferentes processos, apesar de estarem interligados. A diferença é que o plano de negócios define o que fazemos específica e detalhadamente (despesas, lucros, investimentos, entre outros). Já o modelo é o modo como faremos esse plano. Em outras palavras, o modelo está contido no plano.

Para deixar essa diferenciação mais clara, preparamos este artigo! No texto, você vai entender o que é modelo de negócio e quais os exemplos mais populares no mercado, continue a leitura:

Como é estruturado e o que não pode faltar

Para iniciar o modelo de negócio é fundamental definir o público-alvo. Para isso, é criado um perfil ideal ou persona, com todas as informações do tipo de cliente a ser alcançado pela empresa.

Em seguida, é necessário colocar uma proposta de valor sobre o produto ou serviço, estabelecendo a solução que será entregue ao consumidor e qual seu diferencial em relação aos demais concorrentes. Isso definirá certamente a decisão de um potencial cliente em escolher a empresa.

Também é importante pensar sobre a entrega do produto. Nessa etapa, defina qual será a melhor forma de chegar ao seu consumidor e deixe claro esses passos para toda a equipe, no intuito de não haver enganos no decorrer de uma venda.

Tipos de modelos de negócio

Agora, conheça alguns dos melhores modelos de negócios para se investir e lucrar. Confira!

Franquias (Franchising)

Considerada a mais famosa, se baseia na expansão empresarial pelo rateio e comercialização de produtos ou serviços de uma mesma marca e, por consequência, oferece a outros empreendedores a parceria para fazer o modelo de negócio.

Uma grande vantagem dessa estratégia é já iniciar com uma estrutura consistente e reconhecida, com todos os procedimentos experimentados e padronizados, reduzindo a margem de erro. No entanto, a parte operacional é geralmente limitada à aprovação prévia de quem detêm a marca, restringindo certas ações e ideias do franqueado.

No caso daqueles que desejam criar uma empresa com impulsionamento para franquias, ela deverá ser altamente testada e solidificada, dando garantia aos potenciais franqueados que se investirem na marca, terão retorno certo.

Deve-se lembrar sempre de buscar um diferencial entre as demais marcas, apesar de terem características semelhantes, para atrair investidores e clientes. Entre os modelos mais conhecidos no país estão o McDonald’s, Havaianas, Chilli Beans, Solarprime e Subway.

Assinatura

Esse é um tipo bem conhecido, que tem adeptos em todo mundo. Sua forma de atuar é simples, pois a empresa fornece o produto ou serviço para o consumidor por meio de um pagamento de uma taxa mensal ou anual. Quem mais utiliza esse método são mercados de entretenimento e notícias.

Para conseguir sustento próprio e assegurar a manutenção da atividade, sempre estão em constante inovação, melhorando a qualidade do produto e criando pacotes de uso ou diversificando o que chega ao usuário, justamente para que não cancelem a assinatura. Ainda, oferecem grandes descontos iniciais ou mesmo gratuidade durante certo tempo, como forma de degustação e fidelização.

e-book gratuitoPowered by Rock Convert

Esses produtos podem ser de várias categorias, desde cosméticos, higiene pessoal, bebidas, livros e revistas, até serviços de streaming. Uma grande vantagem desse modelo de negócio para o empresário é poder contar com receitas a longo prazo, visto que os usuários se comprometem com pagamentos periódicos. As empresas mais conhecidas que usam esse método são: Netflix, Amazon Prime, Exame e Vivo.

SaaS (Software as a Service)

Nesse método, o que mais importa não é a venda de uma autorização para uso de um programa ou serviço, e sim, manter uma transmissão perfeita. A empresa fornecedora se obriga pela repartição, modernização e manutenção da plataforma de uso. Por ter como referência a nuvem, o software pode ser utilizado a qualquer momento e em diversos aparelhos diferentes.

Assim como na assinatura, uma das vantagens desse modelo, principalmente para startups, é a geração de receitas a longo prazo. Outro grande benefício é a conexão estabelecida com o cliente, a qual torna possível o desenvolvimento de ofertas e promoções. O SaaS tem sido uma excelente escolha para se empreender. Contudo, o maior desafio é o investimento que deve ser feito em infraestrutura e atualização dos serviços oferecidos, além dos gastos fixos de servidores.

Marketplace

Basicamente, esse modelo de negócio cria uma plataforma a qual liga uma oferta a uma demanda, seja ela de produtos ou serviços. Muitos de nós já escutamos que atualmente as maiores empresas de transporte não têm um carro ou que os maiores restaurantes não têm nenhum estabelecimento se quer, não é mesmo?

Para que tenha funcionalidade e rotatividade nesse empreendimento, é preciso um grande volume de usuários nos dois polos da plataforma. No caso das startups que fazem parte desse ramo, costumam capitalizar o empreendimento cobrando taxas por operação feita, para que haja lucro garantido por parte dela.

Tem como ponto positivo a rápida escalabilidade, tendo em vista que a corporação não necessita se responsabilizar pela entrega do produto ou efetivação do serviço. Cabe a ela somente administrar e classificar as empresas e usuários. Por essa razão, também apresenta um custo operacional consideravelmente baixo em relação às empresas que se obrigam pela encomenda final.

Por ser um mercado de ofertas constantes, precisa oferecer atrativos como promoções, descontos por uso diário, entre outras ideias. Os exemplos de marketplace mais marcantes no Brasil são: Uber, Mercado Livre, iFood e Airbnb.

Ecommerce

Sendo um dos primeiros tipos a começar no mundo virtual, é simplesmente um mercado online de produtos e serviços. É bem difícil ter grande escalabilidade em um curto espaço de tempo, pois precisa de investimentos iniciais altos em áreas físicas para armazenagem e logística dos produtos comercializados na plataforma.

Devemos ficar atentos sempre na relação de pontualidade com o cliente e, por isso, explorar ao máximo o marketing para obter compras permanentes. Apesar de tudo isso, tem a vantagem de ser mais confiável, pois é um serviço no qual as pessoas estão mais acostumadas a usar no cotidiano.

Podemos citar exemplos de empresas como Lojas Americanas, Magazine Luiza e Netshoes. Todavia, pelos pontos negativos que o empreendimento oferece, até estas estão migrando parte da demanda para o marketplace.

Percebemos o quão importante é escolher um modelo de negócio ideal para nosso estilo de empreender. O mercado de franquias, por exemplo, é um dos que mais crescem no mundo e quem aposta em fontes sustentáveis, como a térmica, tem se dado muito bem. A Solarprime é uma empresa consolidada nesse ramo, sendo uma grande oportunidade para investir em energia solar.

Gostou de aprender sobre os principais modelos de negócio? Então, não perca tempo e entre em contato conosco para saber mais sobre nossa forma de empreender!

Comments

comments