Clique no play e ouça este post:

 

Se você anda preocupado com o valor da sua conta de luz e não sabe mais como economizar para diminuir esse custo, está na hora de aprender a analisar as etiquetas de eficiência energética ao comprar um eletrodoméstico.

A etiqueta energética nada mais é do que um rótulo que informa, entre outras características dos equipamentos domésticos, a sua eficiência energética.

Se você está pensando em comprar qualquer eletrodoméstico, os tópicos abaixo merecem ser levados em conta em prol de uma escolha mais econômica. Confira!

Selo PROCEL

O selo PROCEL (Centro Brasileiro de Informação de Eficiência Energética) é uma forma simples de o consumidor saber quais são os equipamentos e eletrodomésticos que consomem menos energia dentro de cada categoria.

Sendo assim, ao comprar um novo equipamento, busque o selo PROCEL por 2 motivos importantes: você vai contribuir para o consumo sustentável de energia e também economizará dinheiro quando for pagar sua conta de luz.

Selo Inmetro e as letras que representam a eficiência energética

Este selo avalia os equipamentos por nível de eficiência energética, dentro de uma classificação que vai de A até G — A são os mais eficientes e G os menos eficientes. Para equipamentos de frio, a letra A também contempla as classificações A+ e A++ (nível mais elevado de eficiência energética).

e-book gratuitoPowered by Rock Convert

O nível de eficiência atribuído pelo selo do Inmetro também possui um código de cores na etiqueta presente nos equipamentos e eletrodomésticos. Essas cores também refletem a relação entre energia gasta e desempenho. Elas começam no verde (mais eficiente) e vão até o vermelho (menos eficiente).

Para você entender na prática a diferença que pode fazer no seu bolso optar por um equipamento de classe A ao invés de outro, classificado como B: se pegarmos como exemplo uma máquina de lavar roupas, a máquina de classe A economizará 21% de energia em relação à B, para realizar a mesma função.

A estimativa kWh consumido por mês

As etiquetas de eficiência energética também trazem dados relativos a uma estimativa de consumo do equipamento, que geralmente é expressa em kWh (Quilowatt-hora). Para você calcular o consumo médio de kWh, esse número dependerá do seu hábito de uso.

A conta é a seguinte: multiplica-se a potência do equipamento pelo número de horas que ele será utilizado no mês, e pelo número de dias de uso mensal. O resultado deverá ser dividido por 1.000 e, então, você chegará a estimativa de kWh consumido por mês.

Vale ressaltar que alguns valores serão diferentes dos calculados para aparelhos que ligam e desligam periodicamente, como geladeiras, freezers, ares-condicionados, entre outros.

De acordo com uma tabela elaborada pelo PROCEL, uma cafeteira elétrica utilizada todos os dias por 1 hora, tem um consumo médio de 6,56 kWh. Já uma geladeira de 2 portas frost free, chega a consumir 56,88 kWh durante o mês.

Para saber o quanto isso vai custar na conta de luz no final do mês, procure no boleto emitido pela concessionária da sua região o valor que ela cobra por kWh e você terá o resultado em reais desse consumo.

Agora que você já sabe como analisar as etiquetas de eficiência energética, que tal ajudar outras pessoas a economizarem em sua conta de luz com o uso de energia solar? Entre em contato com a Solarprime e saiba como. Até a próxima!

Comments

comments