O crescimento gradual do setor de energia solar tem despertado o interesse das empresas em comercializarem essa tecnologia. Com mais opções surgindo no mercado, é preciso que o empreendedor conheça bem o perfil do consumidor de energia solar para se destacar e promover o seu negócio.

O aumento no número de pessoas gerando a própria eletricidade por meio dos sistemas fotovoltaicos acontece, principalmente, devido às altas tarifas energéticas e à maior preocupação com o meio ambiente. Mas para captar clientes e ter sucesso, é fundamental saber o que essas pessoas estão buscando e quais são as expectativas delas.

Quer aprender mais sobre esses perfis? Continue a leitura!

Qual o perfil do consumidor de energia solar?

Uma pesquisa da consultoria Greener nos ajuda a entender melhor o perfil desse consumidor no Brasil. O levantamento aponta que, no primeiro semestre de 2020, os mais interessados na implantação de sistemas fotovoltaicos foram os clientes residenciais (75%), seguidos pelo comércio essencial (40%) e pelos clientes do meio rural (18%).

A seguir, veja outros pontos que revelam quem é esse público.

Preocupação com o meio ambiente

Um motivo que leva os clientes a optarem pela energia solar é a preocupação com o efeito estufa e com o aquecimento global. Preservar o meio ambiente e garantir que os recursos não se esgotem para as próximas gerações também são fatores que movem as pessoas a realizarem esse investimento.

Necessidade de economia

A instabilidade da inflação e os altos custos de energia no país fazem o consumidor buscar mais independência e investir na produção da própria eletricidade, por meio de fontes limpas. Além disso, aderindo a um sistema fotovoltaico, é possível reduzir até 95% no valor das contas de luz.

e-book gratuitoPowered by Rock Convert

Faixa etária

Segundo a mesma pesquisa, a energia solar tem fisgado um público mais maduro nos últimos tempos. No primeiro semestre de 2020, as pessoas com até 50 anos eram 55% dos proprietários desse sistema. Em 2017, o índice foi de 22%. Essas transformações são reflexo do início de democratização da fonte e da maturidade do mercado.

Classe social

As classes C e D estão com mais acesso a esse tipo de solução sustentável. No estudo da Greener de 2017, a classe D nem tinha representantes entre os titulares de sistemas de energia solar no país. Na pesquisa mais recente, por sua vez, as pessoas dessa faixa já correspondiam a cerca de 10% do total de clientes.

Para quem vender energia solar?

Existem diferentes tipos de unidades consumidoras de energia, e elas são classificadas em dois grupos: A (alta tensão), formado geralmente por indústrias e comércios de médio ou grande porte; e B (baixa tensão), que abrange consumidores residenciais, rurais e as demais classes consumidoras, além da iluminação pública.

Para que os vendedores possam definir a melhor estratégia e prospectar mais clientes, é fundamental que conheçam todas as características desses grupos, como a potência elétrica que eles consomem, suas dores e demandas.

Podemos concluir que o perfil do consumidor de energia solar está mudando conforme a tecnologia avança e a sociedade se torna mais consciente. Por isso, pesquise o mercado, analise as particularidades do seu público-alvo e garanta sucesso e eficiência para o seu negócio.

Gostou de saber um pouco mais sobre esse assunto? Compartilhe este artigo em suas redes sociais!

Comments

comments